sexta-feira, 29 de agosto de 2008

"A minha Queda"

Ao fim de muitos exames e análises, no dia 14 de Agosto lá fui eu para a MAC para finalmente fazer o dito exame, entraria de manhã e sairia ao final da tarde, eis que quando eu acordo da anestesia 4h depois, fui informada que teria que ficar internada, que iria ter 1 mês de baixa só por causa da cirurgia a que tinha sido sujeita e que derivado à gravidade do que tinham encontrado tinha ficado sem o óvario dtº, trompa dtª, apêndice e mais uma outra coisa que eu não sei dizer o nome.
O meu mundo desmoronou-se afinal não era um mero tumor, era um Cancro maligno, daí terem aberto logo para resolverem o mais rapidamente possível este problema. fiquei tb a saber que durante a cirurgia além de eu ter perdido muito sangue, foram feitas biópsias aos restantes orgãos que se encontravam no meu tronco, a fim de se saber até que ponto é que o Cancro já tinha progredido.
Neste momento e com 21 agrafos na barriga e mais 5 pontos eu sentia-me pequenina, mas com forças para lutar. Vieram os resultados das biópsias, tudo o que tinham retirado de mim estava apanhado pelo Cancro, no entanto tb vieram boas noticias, todas as biópsias aos orgãos que lá ficaram dentro, vieram negativas, ou seja uma batalha ganha por mim.
Agora e enquanto espero que o ou o meu Oncologista, ou IPO me contacte para me dizer se tenho que fazer Quimioterapia ou nem por isso, e como jé estou sozinha em casa, as minhas forças estão a desmoronar-se. estou a ficar com medo, medo do futuro, tenbho a sensação que o meu pesadelo ainda não acabou, mas sim está a começar.


Quero olhar para o fururo de cabeça erguida, cheia de força, mas está dificil.
Por vezes necessito chorar, mas não posso, não é isso que as pessoas esperam de mim.
Ando a fazer um esforço para não deixar ninguém cair, no entanto ninguém percebe que eu também preciso de cair, também preciso de chorar, de ter medo.
Não posso ser eu a manté-los à tona de água, pois eu estou-me a afundar numa angústia solitária, pois só assim me é permitido chorar, estar triste.